Notícias

Loading...

sábado, 17 de agosto de 2013

A decadência da música brasileira atual


Há poucos dias relacionei algumas reportagens retratando de uma realidade triste, porém séria relacionada à decadência da música brasileira atual.
Primeiramente li uma matéria que falava de determinada dupla sertaneja brasileira que iria receber R$ 4,3 MILHÕES do Ministério da Cultura para ‘produção e divulgação’ da dupla. Apesar de o valor desta chamada ‘produção e divulgação’ ser altamente duvidoso, este não é o ponto.

Dias depois vi outra reportagem que me deixou, desta vez, não indignado, porém triste!
Quando vi me choquei: “Orquestra Filarmônica do Rio pode acabar por falta de patrocínio”. Então me perguntei: se o Ministério da Cultura tem R$ 4,3 milhões para uma dupla sertaneja, por que uma orquestra de tamanha importância cultural não só para o Rio de Janeiro, porém para o Brasil como um todo, está com risco de ser fechada por falta de recursos?
“Os músicos estão sem tocar a dois anos por falta de patrocínio”, dizia a notícia. Agora lhe pergunto qual é a verdadeira importância da música?

Tive a oportunidade de estudar um pouco de História da Música e este pouco me ajudou a aumentar a percepção que já tinha relacionado aos poderes da Música. Lembro-me e orgulho-me também em dizer que a música, para nossos ancestrais da Antiguidade, era muito mais do que é a música hoje (ou melhor, o ‘ruído’ que a mídia, de forma geral, insiste em chamar de música).

A música representava um ritual, muitas vezes místico, que independentemente da crença de cada um, levava à comunhão, a união, a confraternização, a chance de entrar em si mesmo e conhecer-se, e acredito que quando nos conhecemos também conhecemos o próximo, pois como já disse Sócrates: “Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o Universo e os Deuses”.

Lembro-me também, não há muito tempo atrás, a música servindo de voz a um povo reprimido pela ditadura militar, onde os artistas se manifestavam seja através das artes visuais, teatro ou música falando o que precisava ser falado, o que precisava ser dito diante da realidade que reprimia o povo com muita naturalidade.

Atualmente vejo um gênero musical que ainda sofre muito preconceito, que é o rap, que retrata a realidade de um povo sem voz, um povo sem vez, que diante de uma necessidade de se expressar acha sua vez e sua voz através da arte, assim como foi o samba há algumas décadas atrás.
Pergunto-lhe agora, caro leitor, do que se trata a música atual brasileira?

A música que os veículos de comunicação propagam como ‘música boa’? Eu, como estudante de Música, fico triste em ver que a música hoje serve para, desculpe-me a sinceridade, ‘imbecilizar’ as pessoas, desrespeitando o próprio povo com letras de mau gosto, servindo apenas para aumentar o próprio ego, falando de seu carro importado, ou como o cantor se acha o legal por sair na balada e ‘pegar’ várias mulheres, falando de mulheres como se fosse mercadoria.

Sem mencionar a indústria de cultura (que só pelo nome já é algo assustador), criando padrões de letras que sempre falam da mesma coisa.

Acredito que a música possa fazer muito mais do que isso!
Este ano apenas, pelo fato de não ter quando criança a educação musical necessária, tive a oportunidade de sentir a energia de uma boa música barroca, com seus contrastes que fazem o corpo todo se mexer.

Tive a oportunidade também de sentir o canto gregoriano do período medieval falando dentro de mim, por mais que não entenda uma palavra de latim!
Acredito, sim, que a música tem o poder de unir as pessoas, seja de etnias, ideologias, crenças ou culturas diferentes, assim como tem o poder também de expressão, de dizer que este mundo em que vivemos não está tão certo assim como passa na TV... de mostrar uma realidade que muitas vezes não passa na novela, de lembrar o ser humano que existe muito mais do que apenas bens matérias nesse mundo e, sobretudo, de mostrar que o amor pode prevalecer sobre esse mundo cinza e sem vida em que a maioria vive!

Fonte: Blumenews

62 comentários:

  1. Respostas
    1. CULTURA COMUNISTA! DESVIRTUAMENTO DA LEI ROUANET-CULTURA
      http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2013/09/cultura-comunista-desvirtuamento-da-lei.html

      Excluir
    2. os músicos já são reféns do poder $$$ há muito tempo, você estudou historia da música deve se lembrar dos mecenas???

      Excluir
  2. Parabéns pelo texto. Mas isto é um dos sinais claros de falta de investimento em Educação. Estamos vivendo um momento de inversão de valores e da completa falta de responsabilidade com as gerações futuras... Triste, muito triste...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente o texto é muito bom e vc falou tudo: fruto poético faço de tuas palavras as minhas.

      Excluir
  3. Uma Orquestra Filarmônica que precisa de um longo tempo para harmonizar o seu conjunto de músicos e gabaritados para interpretar Concertos de obras de grandes compositores, assim como: Sinfonias,Óperas, e que contribuem para o desenvolvimento cultural de um Estado ou País e enriquecer o povo de sabedoria ao ouvir belas cancões que emocionam cada um de nós, e que nos levam nesses momentos a um estado emocional e que muito desconhecemos porque vem lágrimas aos olhos nesses belos momentos de nossas vidas. Então porque o Governo Federal não patrocina esses Trabalhadores da Cultura da Música Clássica no Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque não tem uma comissão para estarem reivindicando os direitos assegurados por lei?! Eu sou um leigo sobre o assunto mais sei de uma coisa criança que não chora, nao se esperneia e faz um auê não tem o brinquedo que ele quer e sim o que a mãe acha que ele deve ter.

      Excluir
    2. Uma orquestra, pensam eles, não atrai público. E ai, eu os convido para vir conferir a frequência de público que tem a orquestra do ES. Mas tem sido um investimento sério do maestro, dos músicos... (e agora teve até um certo reconhecimento do governo que ofereceu um plano de cargos e salários mais decente) e o governo federal anda mais é querendo chegar perto do povão. Não vai querer patrocinar música para a elite. Eles se esquecem que o povo gosta de porcaria, por que é o que lhe é ofertado! E tome Chitãozinhos e xororós espalhados pelo Brasil.

      Excluir
  4. AS PRÓPRIAS MULHERES QUE SÃO TRATADAS COMO OBJETO SEM VALOR E ATE MESMO DE CACHORRAS, DEVERIAM SE VALORIZAR MAIS E PARAR DE MOSTRAR A BUNDA E DE SE ESFREGAREM COM TODOS OS "HOMENS" NOS BAILES FANQUIS E EM OUTROS "SHOWS" POIS QUANDO ELAS ACHAM QUE ESTÃO SE VALORIZANDO MOSTRANDO A BELEZA DE SEUS CORPOS NA VERDADE ESTÃO SE DESVALORIZANDO CADA VÊS MAIS POIS NENHUM HOMEM DE VERDADE JAMAIS CASARIA COM UMA MULHER ASSIM. O QUE ELAS TAO FAZENDO NA VERDADE E TRABALHANDO DE FORMA ESCRAVA PARA "CANTORES" SEM TALENTO ALGUM DIVULGAREM SEUS TRABALHOS DE BAIXO NÍVEL.......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é verdade. Mas lembre meu amigo, isso tudo é culpa da má educação que vem sendo empregada no Brasil nos últimos anos. O governo e a mídia vem criando bichos ignorantes e vem alimentando isso desde mto tempo. O povo é sem cultura, pq o governo não investe em cultura, em educação. Então a mídia vem e educa de forma errada os jovem. Os pais mal instruídos pela escola, não educam seus filhos como deveriam. Então este esteriótipo de música e de sensualidade fica impregnado nas cabeças mal formadas dos brasileiros.

      Excluir
    2. Gostei a resposta do Anderson, mas desgostei demais desse comentario... Poderia simplesmente brincar e dizer *ofensivo, apaga*, mas não tenho como me calar... Concordo com todos os termos apresentados sobre boa e má musica, apesar de nao ter conhecimento para definir corretamente uma da outra, apenas meu gosto pessoal. Também acho que a grande mídia insiste em financiar musicas para imbecilização, enquanto bandas boas, independentes, são simplesmente ignoradas! Mas meu caro Raimundo, dizer que a mulher se desvaloriza quando mostra seu corpo... Desculpa, mas mulher não é mercadoria, e não tem valor. Ela faz o que quiser com o seu corpo, ouvindo funk ou ouvindo musica gregoriana. Impertinente seu comentario.

      Excluir
    3. Ligia, o negócio é o que a mulher faz com o corpo. E ela não está usando para coisas boas. Está usando sim como mercadoria, como única alternativa à falta de cultura dela. Elas não tocam um instrumento musical. Elas usam o corpo como instrumento, e sempre sexualizando o que propõe a "música". Tenho uma filha, e estou com muito medo do futuro dela, pois na escola, não escutam músicas na hora do recreio. E sim o que a mídia da Globo, Record, SBT, as grandes gravadoras e outras porcarias de emissoras de rádio querem que elas ouçam. Funk, sertanejo, sambanejo... isso nos parece algo direcionado, degradação pura de uma sociedade que quer dinheiro fácil, agindo exatamente como traficantes de drogas. Que se dane as pessoas, as famílias e a porcaria desse país. Mulheres rebolam, praticamente nuas todos os dias na tv. E é para ganhar dinheiro. Estão colocando esse lixo de Anita todos os dias na tv. Nisso eles investem. E cada vez mais são preparadas as futuras prostitutas da sociedade.

      Excluir
    4. É complicado ler tudo isso. Mas infelizmente as indústrias que estão em alta hoje é a da luxúria, prostituição, ostentação ( forte no baile funk), porfias, facções, dissenções, entre outras mais.
      Concordo plenamente com o que escreveu nosso amigo Mário Henrique.
      A música hoje é um barulho incômodo, que sempre faz os vizinhos chamarem a polícia, implanta a sensualidade na mente das crianças e la pelos doze já com barrigas grandes 'requebram até o chão' na "pequena" fila do posto pra marcar o ultrassom :(
      Não podemos culpar simples civis quando em outro estágio os lideres do país ostentam tudo, menos a cultura, educação e lazer sadio para o povo. ( eles são outro povo sem cultura marionetados por uma universidade sem cultura, sustentadas por empresários sem cultura, e por ai vai...)
      Quando vive-se em um lugar que só tem isso, é nisso que o povo vai se espelhar, e seu espelho Brasil está trincado, sujo, corrupto e, certamente se quebrarmos este não teremos azar nenhum.

      Excluir
    5. Pablo acho muito pertinente sua preocupação, mas acho que com uma boa educação sua filha não irá virar uma dançarina praticamente nua da TV. Passei minha infância ouvindo É o Tchan, que era o que a mídia sustentava na época, mas nunca levei isso pra minha vida. Dançava com aquelas roupinhas igualzinho das dançarinas, sabia todos os passos, mas o fazia da forma mais inocente do mundo, pq eu não tinha a menor noção de que a cobra que a odalisca fazia subir não era um réptil e sim uma parte do corpo humano. Independente do que sua filha ouve na rua, saiba que o mais importante é que o que ela aprende em casa. A eduque bem, dê muito amor e pode ter certeza de que ela vai saber escolher bem o futuro dela.

      Excluir
    6. Muito bom os comentários, Adorei a analogia do governo e as traficantes, que viciam nossas crianças com cultura inútil e elas ficam viciadas em busca de mais cultura inútil (gossips,baxaria,escândalos e etc), e aonde no Brasil que fica o grande alimentador desses pequenos viciados em cultura fútil? Vou dizer a voces pais dessa nova geração que vem ai, esta exatamente na sala dentro de uma caixa luminosa que voces chaman de TV. A TV, alimenta todo esse mundo utópico das nossas crianças, e oque elas estão fantasiando, eu vos digo: Sexo,bebida,prostituição,ostentação,roubo,poder, nossas crianças estão brincando e fantasiando com coisas realmente sérias. Abriram-se os portões galera, segurem suas crianças pois no Brasil de hoje ninguem ta seguro em casa e nem parado, se não perceber agora pai, vai se perguntar porque seu filho/a não puxou o senhor/a.

      Excluir
    7. Falaram de má educação não é? Concordo e levanto outro dado, tudo isso é fruto da nossa colonização portuguesa e católica, que não ensina o povo a pensa e somente a ser levado como se fóssemos bois no pasto. Se tivessemos sido colonzado por uma nação protestante TALVÉS, seria diferente.

      Excluir
    8. Rev. Guilherme C. de Paula... que comentário mais impertinente!! "Talvés" fosse melhor você olhar para si antes de publicar esse comentário, repleto de erros de português/concordância e recheado de ignorância.

      Excluir
    9. Deus te ouça, Viquinha. Educação não falta em casa. O problema é o que se apresenta fora, e a inocência está ficando cada vez pra trás...É o Tchan foi o marco da degradação da música. E você era uma inocente criança, assim como é minha filha. Sem maldade. Como era bom ser criança...

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Os representantes do nosso querido Brasil não se importam com coisas que aumentam o intelecto do seu povo, eles não querem de maneira nenhuma criar uma população critica. Com um povo alienado pela mídia, que em grande parte são os políticos que são donos, fica mais fácil de enganar e esconder os seus crimes.

    ResponderExcluir
  7. Comentário maravilhoso, isso é para todos refletirem, e principalmente ao Ministério da Cultura e a patrocinadores que revejam se a contrapartida em questão fará dela uma empresa vista como incentivadora de cultura....

    ResponderExcluir
  8. Essa mulherada nojenta gosta de ser tratada feito lixo. Digo as mulheres sem valores que desvaloriza as outras sinto nojo e vergonha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mulher não é objeto meu querido ou querida. Você não leu o texto, então não comenta, o assunto aqui é outro. Não sabe interpretar o conteúdo de um texto, ainda tens chances, existe o EJA.

      Excluir
  9. a mulher que se vende não vale o que recebi , o valor de uma mulher é ela quem faz, homens gosta de mulher fácil só para se diertir mais para um compromisso mais sério , tem que ser uma mulher dificio

    ResponderExcluir
  10. Eu observei que depois que o PT assumiu o poder, a música popular brasileira caiu muito de qualidade, dando preferência a músicas de gosto duvidoso e com letras horrorosas, será isso uma estratégia para alienar os nossos jovens? Os jovens estão sem referências musicas, pois só ouvem funk com letras que falam da mulher como um mero objeto sexual e que incentiva a promiscuidade sexual! Espero que esse quadro possa ser revertido e que surjam músicas com letras que valham a pena ouvir! Atualmente a nossa cultura está péssima! Um povo sem cultura e sem educação não consegue sair do lugar.

    ResponderExcluir
  11. Impossível nao concordar com o conteúdo da matéria! Com muito tato você passou da discussão de o que é musica boa ou ruim, para mostrar uma discrepância absurda dos nossos governantes! O incentivo deveria ser dado, no minimo, para todos os lados e gostos! Até ontem estava pensando em como tenho amigos com bandas interessantes, e na dificuldade que sentem para se manter e crescer... Enfrentam até o bloqueio de rádios locais! E em outro planeta, temos tantas duplas produzindo o mesmo estilo... Cade o incentivo também à nossa pluralidade cultural?

    E um adendo, o mesmo comentario que fiz ali em cima sobre as mulheres, servem para todos que acham que musica ruim sao aquelas que as mulheres se mostram... Como se uma coisa estivesse ligado a outra, e como se essas pessoas tivessem que cuidar de algo que não lhes pertence.

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pelo texto, infelizmente não fazem mais letras de músicas como antigamente, nossos ouvidos tá parece pinico obrigados a ouvir essas merdas de músicas sem conteúdo algum e que dá enjoou só de ouvir.

    ResponderExcluir
  13. Que pena, infelizmente 99% dos adolescentes e crianças de hoje não sabem quem foi
    Mozart (acham que é jogador de futebol);
    Beethoven (acham que é o cachorro do filme);
    Que dirá então de Vivaldi, Thaikovsky e Bach!!!!
    Agradeço à meu pai a oportunidade de eu ter crescido,
    desfrutando de bom gosto musical, de obras que perduram através dos tempos,
    e que imprimiu na minha essência o gosto pela cultura e pela Arte!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo eu não tendo a sua oportunidade de vivenciar a verdadeira cultura musical, tenho em minha coletânea algumas obras de o que podemos realmente chamar de artistas musicais, não esse lixo poluente de ouvido que somos obrigados a ouvir devido a liberdade de expressão. O pior é que nossos jovens estão sendo educados(moldados) a terem esse gosto sonoro.

      Excluir
  14. Lindo texto, pela seriedade do tema, nele, explicito. Quero aproveitar e,chamar a atenção de todos os amigos, e, porque não de todos os Brasileiros, para algo que é passado como sem importância no nosso País. No texto, o autor, faz menção de um período, mostrado pelas autoridades, desse momento, e a Mídia , como um período de obscuridades, o que não condiz com a verdade.Essa é a citação:"Lembro-me também, não há muito tempo atrás, a música servindo de voz a um povo reprimido pela ditadura militar, onde os artistas se manifestavam seja através das artes visuais, teatro ou música falando o que precisava ser falado, o que precisava ser dito diante da realidade que reprimia o povo com muita naturalidade."
    onde é dito sobre: " .... uma realidade que reprimia o povo...." faz menção ao Regime Militar que vigorou por cerca de 21 anos, o que na realidade aconteceu, foi um periodo de verdadeiro Nacionalismo, respeito ao povo, e, uma tentativa dos Nossos saudosos Militares em conter o avanço do que está acontecendo neste momento. As músicas de protesto eram orquestradas pelos que estão no poder, hoje, trabalhando por um processo de comunização do Brasil.Pasmem, todos, isso está acontecendo e o povo não está entendendo nada. Desde que o Saudoso Presidente Getúlio Vargas faleceu, estamos vivendo um retrocesso político voltado para o empobrecimento do povo brasileiro, e, o enriquecimento do País, de uma forma inversamente proporcional, onde o país tem mais recursos de toda natureza, tecnologia de ponta, mas, o trabalho do pseudo cidadão é desvalorizado, com baixíssimos salários, as perdas de direitos e conquistas trabalhistas, alcançadas no governo de Getúlio Vargas.
    Assim, como fizeram os que se levantaram como salvadores da Pátria Cubana, hoje, estão fazendo com o Brasil. Para isso, apenas, serviram os gritos, as músicas de protestos que perduraram até o término do regime militar. A desconstrução do Estado, a entrega dos bens públicos para estrangeiros, ou, brasileiros que só pensam no dinheiro; o abandono da Amazônia, tomada por missões estrangeiras, policiada por homens armados, onde os nativos não podem mais transitar; o sucateamento dos sistemas de Educação, Saúde e Segurança. A entrega da Capital aos políticos e empresários, e também toda riqueza brazileira nas mãos de homens sem escrúpulos, e ainda mais, as mudanças radicais dos valores que fundamentam a formação de uma nação, feitas através de leis, por aqueles que juraram nos representar. Os político Brasileiros não são representantes do povo; a Constituição não é respeitada, e o pior de tudo, somos obrigados a eleger esses representantes, sabendo que nada vai mudar, pois não existe nas urnas eleitorais a opção:nenhum candidato.
    Resumo: Os Governos Militares não queriam que passássemos por esse momento tão triste e inseguro, onde nada funciona no Estado, a não ser o sistema de arrecadação; O Povo Brasileiro nunca foi reprimido, pois durante o regime militar havia ordem no País; os reprimidos eram os que queriam o poder político, e conseguiram, com a saída dos militares, o que nos trouxe tanta desgraças, como o forte consumo de drogas pelos jovens, e agora já atingem nossas crianças, e ainda existe um congresso trabalhando pela liberação das drogas; Tudo começou com eles, distribuindo drogas e miséria para atingir o desestabilizar o governo militar, por isso não existe punição nem combate efetivo ao crime no Brasil. A gestão do crime não está nos morros e favelas, e sim, na alta sociedade que através dele movimenta muito dinheiro. È na realidade um Estado paralelo que gerencia o crime, e possui representação naa mais alta corte brasileira, e nos seguimentos, abaixo, do Estado.
    Carlindo S S Filho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito. João Figueiredo não queria a copa do Brasil em 1986. Porque sabia que no nordeste havia seca, e a economia estava entrando em crise. E aparece, anos depois, um presidente populista, mentiroso, sem vergonha, e coloca a copa no Brasil, gastando trilhões que poderiam ser usado para transformar o país. Mas não. Que horrível ser brasileiro hoje em dia.

      Excluir
  15. Não me espanta que chegamos a esse ponto, em um país onde o ensino da Arte em escolas publicas não é obrigatório em todas as séries...é comum que o radio seja o educador musical e a televisão o educador visual e teatral, então o que se esperar desta geração que não sabe nem quem foi Tarsila do Amaral e Vila Lobos...e que pensa que tchererê,tchererê.... é música ...triste!

    ResponderExcluir
  16. Muito bom e verdadeiro seu comentário! Concordo plenamente!

    ResponderExcluir
  17. Bom, embora a construção do texto esteja de acordo,o seu tema faz parte de um comentário bem comum. A pergunta que não se cala e pouco analisada é levando em consideração se essa transformação parte de uma mudança social e tecnológica? Lembrando que estamos falando de uma nova geração, já estamos indo para uma geração denominada "z". Sou da geração "y", meu pai é da geração "x". Embora seja grosseiro e vulgar para muitos, a mudança não pode ser considerada como um erro. Pois faz parte de um significado e representação de uma época recente, e a mudança é evidente, que envolve diretamente no comportamento social desse público. Da medo de pensar no futuro de atividades de trabalhos culturais, mas devemos levar em consideração que não importa o gênero musical, a música em si não pode deixa de lado o seu objetivo em contribuir para reforço dos conceitos da representação na cultura da sociedade brasileira, no mundo contemporâneo, tornando a música é uma ferramenta facilitadora para aprendizagem, contribuindo para melhor compreensão da história, de seus determinantes e desdobramentos através do conhecimento das ideias sobre as quais os movimentos artísticos, culturais e sociais se desenvolveram, entre outros conceitos. proposto. ACORDA, O PÚBLICO É OUTRO! A NECESSIDADE É OUTRA! não adianta tentar uma atividade se não tem público e nem interesse. O que importa é que os trabalhos culturais devem manter o seu foco de atividades dentro do objetivo proporcionado pela música, levando em consideração as mudanças sociais para que se atinja o seu publico, atendendo aos seus desejos e necessidades dentro do objetivo proposto.

    ResponderExcluir
  18. Parabéns pelo texto.Sensacional,com uma linguagem simples e direta.
    Particularmente,sofro bastante quando paro pra pensar na decadência da qualidade musical do Brasil.A música chama atenção pela sua letra,as pessoas criam identificação por sentirem-se parte das histórias contadas em determinadas músicas.É justamente por isso que a qualidade musical está decaindo abruptamente,ou seja,as massas influenciadas pela mídia aderem à porcaria sonora pelo fato de não terem conhecimento de mundo,por conhecerem apenas o que passa na TV(não estou falando que as pessoas gostam de música ruim porque esse tipo de música toca nos meios de comunicação,mas sim,pelo fato de as pessoas vivenciarem somente o mundo midiático,ostentador,sendo assim,se mais gente dedicasse seu tempo ao que realmente importa para uma boa sociedade,não adiantaria o quanto a mídia colocasse "Ai se eu te pego" no Faustão porque as pessoas não "engoliriam" tal palhaçada.Portando,seria a própria mídia que se veria obrigada a dar mais valor às músicas boas).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você Pedro Carvalho. Mas há diferenças e diferenças sempre dês de que o mundo é mundo o que é bom e ruim é muito particular, como eu e você e vários vamos fazer parte de um grupo e da mesma forma vamos ignorar outros. As gerações seguem novas tendencias e novos valores, contudo os projetos devem atender tanto para o erudito quanto para o popular. O que me entristece é ver esse monopólio, ver apenas projetos de produção sendo feito com propósito apenas para entretenimento e lazer para um povo em massa, sendo distribuído de uma forma incoerente. Ainda acredito em projetos de democratização cultural, que venha proporcionar além do que referi sobre o projeto de produção, conhecimento e informação para seu público. Acho que a própria representação de projetos culturais para o Brasil deixa a desejar, nossos valores são outros. Sabe o que substitui no Brasil esse valor? As novelas, passa ser um reforço para que tudo isso aconteça, de acordo com o autor Roberto Muylaert.

      Excluir
  19. O governador do Rio é do PT.

    Aqui em Minas, no mês passado pude ouvir ao vivo a Orchestra Filarmônica de Minas Gerais, muito bem patrocinada pelo Aécio e Anastasia.

    O PT gosta é de baixaria, imoralidade, bacanal. A "ministra da cultura", Marta Suplicy (também do PT) pelo que se comenta por ai, é uma puta de luxo, e dai, o que esperar de uma puta?

    ResponderExcluir
  20. Excelente desabafo textual. É bem assim que nos sentimos, sempre penso na saudade que faz uma boa música.

    ResponderExcluir
  21. Sensacional, retrato fiel de um povo sem cultura, de mentes vazias, que faz de uma pessoa sem talento, sem conhecimento um pop star por ter uma linda bundinha ou um belo par de coxas...

    ResponderExcluir
  22. Por que tem uma foto em cima do texto de 3 pessoas fazendo sexo? Não consegui compreender o nexo csausal...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo que entendi supõe se que aquilo é um baile funk.

      Excluir
  23. Sempre falei que funk é um lixo musical. Ai pra chamar a atenção os funkeiros fazem orgias sobre os palcos. Ridiculas são as pessoas que vão a lugares assim, pois se tivessem um minimo de decência, nunca mais pisariam em baladas funk. Mas no RJ tudo é normal, até essas porcarias.

    ResponderExcluir
  24. Concordo mas acho que está longe de ser um fenômeno exclusivo do Brasil ou de educação. Bioncês, Tinberlakes, Rhianas, Biebers, Kates Peris, e um monte de merda chega de fora e é vendida como se fosse ouro, infelizmente tem gente que só vê a merda nacional, como se a merda estrangeira fosse mais cheirosa! srsrsr

    ResponderExcluir
  25. Parabéns!!!Me sinto da mesma forma em relação a música brasileira...TRabalho no meio e vejo o quanto eh injusta a concorrência de quem faz música de verdade e os que fazem o "lixo musical".
    Só discordo de uma coisa...O reggae no Brasil sofre muito mais preconceito tanto por parte da mídia como por parte da grande massa do que o Rap...E olha que o reggae que vem de uma vertente gospel(que fala de boas vibrações,amor,respeito pelos proximo e tbm as injustiças causadas pelos governos e pela luta contra qualquer tipo de racismo.)Não tem apoio nenhum de qualquer que seja o meio.

    ResponderExcluir
  26. Parabéns pelo seu comentário,e por ser tão comedido em suas observações,pois eu,em seu lugar,teria falado poucas e boas,sem contar que está ficando difícil passar por cima de certas questões que envolve o comportamento Humano,se é que podemos chamar de "Humanos",estamos vivendo uma era de inversão de valores sem precedentes,um imediatismo Midiático desenfreado,um culto à Burrice,erradicação dos Valores Religiosos e Familiares,enfim ,o ser humano está se bestificando,não é por menos que, quanto mais convivemos com um ser humano,mais admiramos os animais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se um gráfico for traçado relativamente aos últimos 50 anos, a visualização certamente não deixará dúvidas de que a decadência humana se encontra numa descendente assustadora, a ponto de eliminar da mente quaisquer projetos que tenham como meta, ao menos, a valorização de tudo quanto se concebeu de válido para a continuidade da espécie. Comentar mais especificamente sobre tudo o que aqui se publicou é simplesmente ulular no óbvio e portanto, irrelevante. Resta-nos tão somente contar com duas hipóteses: Um Milagre que proporcione um renascimento da humanidade, ou apenas aceitar o Fim do Mundo, até porque esta última hipótese, moral e material já se
      sedimentam ao longo dos dias atuais.

      Excluir
  27. Meus parabéns pelo texto!
    ótima reflexão.

    ResponderExcluir
  28. Me senti confuso ao ler seu texto, principalmente pela falta de links para referenciar as matérias que você leu.

    Algumas informações parecem desconexas, pois li uma matéria que diz que a dupla Jorge e Mateus recebeu aprovação do Ministério da Cultura para captar 4,3 milhões de reais.

    http://virgula.uol.com.br/musica/sertanejo/ministerio-da-cultura-libera-r-43-milhoes-para-dupla-jorge-mateus

    Captar é pedir para empresas patrocinarem em troca de isenção de impostos. O Ministério da Cultura não vai dar dinheiro pra ninguém. Se a Orquestra quiser ela também pode captar recursos, agora se ninguém quer patrociná-la, qual culpa o Ministério tem?

    E se o sertanejo faz tanto mais sucesso que a Orquestra com que direito podemos afirmar que ele não é cultura? Cultura é a manifestação de um povo. O povo se identifica e se manifesta pelo sertanejo. Lidem com isso.


    ResponderExcluir
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  30. olha assim como os políticos são apenas o reflexo de seu povo da mesma forma e a musica é nesse caso não devemos culpar a educação pois pegando exemplo a que ocorre em fortaleza funk aqui só toca em casas de show vip , festa em resort na cidade são de axe, colorada de de medicina ao som de swingueira ou seja gente que tem um bom acesso a informação, educação é para você ser uma ferramente de trabalho o que testo fala se refere o bom senso mas eu continuo ouvindo musica e recente receita foi deixei de assistir tv aberta e ouvir radio assim como vocês usando internet para ler esse texto e meu comentário a usem para ouvir musica boa como os site grooveshark.com e o soundcloud.com a musica boa ainda exite só virou um mercado nicho e resumo esqueçam o mercado de massa.

    ResponderExcluir
  31. Excelente comentário e um texto altamente convencedor. Parabéns. Sucesso e felicidades.

    ResponderExcluir
  32. Nossa... não tenho mais nem o que comentar... foi como se vc lesse meus pensamentos.

    ResponderExcluir
  33. hoje em dia quando se apresenta uma musica com conteúdo para um adolescente, um leigo ou um mero ouvinte.. dizem que é chatice! devido à tamanha alienação que a grande mídia incute proliferando essas baboseiras!

    ResponderExcluir
  34. Triste decadência.... será que podemos fazer uma revolução contra isso?

    ResponderExcluir
  35. o que essa foto de ma qualidade tem haver com a noticia... que horror.

    ResponderExcluir
  36. Embora eu concorde sobre seu comentário sobre a questão da Orquestra eu discordo sobre a 'decadência' da música. Se você pegar os anos 60 e 70 no Brasil, embora você tivesse grandes compositores, você também tinha aqueles que eram produtos de uma Indústria apenas de Pão e Circo. A Jovem Guarda por exemplo era visto pelos 'revolucionários' como imbecilizadora e 'sem qualquer crítica'. Existem ótimos cantores hoje no cenário nacional assim como existem outros tantos ruins da mesma forma como acontecia antigamente. Isso não só aqui no Brasil, mas nos outros países também. Sempre tiveram cantores bons e ruins e sempre hão de haver cantores bons e ruins. O que acontece é que há internet hoje e é mais fácil uma banda e uma dupla que faz um som mais 'divertido' se tornar famoso do que outros que tem um pouco de medo de se mostrar. O que um estilo musical oferece hoje não é questão crítica porque nós não estamos vivendo um período de guerras intensas, ditaduras ou coisas do tipo. Acho que a sua crítica sobre a Indústria Cultural sendo um 'aspecto alienador' é muito overreacting. Ela têm suas coisas boas e ruins. E acho que a foto que você postou não tem nada a ver com a notícia, mas tudo bem, talvez seja o que você acha que ela representa da música nacional como um todo. Mas eu discordo. Teatro Mágico, Clarice Falcão, Matanza, Maria Gadú.... temos bons cantores e bandas dos mais variados estilos. Não estou defendendo estilos como funk ou forró, mas sim que esses estilos fazem parte da cultura brasileira que mostra uma 'liberdade e despreocupação maior' sobre as coisas. E que não há nada de errado nisso. O que é errado é o Ministério da Cultura não dar um apoio a uma orquestra enquanto faz tudo o possível para levar outras duplas sertanejas ao estado. E está errado não por patrocinar duplas sertanejas, mas por deixar de lado uma coisa em detrimento da outra. Essa é a minha opinião apenas. Espero que não se sinta ofendido. Abraços,

    ResponderExcluir
  37. O começo da matéria até me chamou a atenção para ler, mas quando vi que o assunto desvirtuou para uma mera comparação do seu gosto musical com o gosto de outras pessoas, utilizando o blog para esculhambar o gosto alheio, só consegui notar a mediocridade hipócrita do autor. Pelo simples fato do autor do blog não gostar de tal gênero, ele vira escória da música?

    ResponderExcluir